1ª Mesa-redonda: O papel dos arquivos e centros de memória para conscientização dos direitos humanos

04/06 - 09h30min às 12h30

Esta mesa visa estimular a reflexão sobre a importância dos acervos arquivísticos para preservação da memória e conscientização dos direitos humanos de grupos sociais marginalizados.


Palestrantes:


2ª Mesa-redonda: Deficiência e História da Medicina

04/06 – 14h00min às 17h00

Essa mesa tem por objetivo trazer ao debate a complexa relação entre as ciências médicas e a questão da deficiência numa perspectiva histórica, enfatizando o período desde a virada do XIX para o XX até a contemporaneidade. Tendo sido percebida como algo próprio do campo das doenças e das anormalidades, não raro tendo essa característica vinculada a desvios morais e problemas sociais, o fenômeno da deficiência foi, durante muito tempo, abordado pelo campo médico, além do político e social, a partir de práticas ostensivas de normalização e segregação. Institucionalização, intervenções corporais não consensuais, medicalização, esterilização, medidas de profilaxia eugênica e até o extermínio foram algumas das práticas que se tornaram comuns em relação às pessoas com deficiência no correr do século XX. Apenas a partir do marco dos Direitos Humanos e com a emergência das “questões de minoria” a partir da década de 1960 é que as relações entre o campo médico e a deficiência passam por remodelações profundas. Discutir essa trajetória e pensar as rupturas e permanências desse processo é a proposta central dessa mesa.


Palestrantes: